A presença de actividades humanas, animais, equipamentos diversos, fumos… podem-se converter em fontes de contaminação do ar que respiramos. A produção de humidade, cheiros e a secagem do ar, têm consequências nefastas e originam:

  • Falta de Conforto;
  • Degradação de Estruturas e Pinturas;
  • Desenvolvimento de Micróbios.

Surgindo a necessidade de ventilar os espaços interiores. A ventilação consiste em fazer a renovação do ar ambiente de forma a retirar os elementos poluidores.

A ventilação pode ser feita, essencialmente de duas formas:

  • Ventilação Natural
  • Ventilação Forçada ou Mecânica

 

Ventilação Natural

A ventilação natural permite uma renovação do ar interior e eliminar parcial ou totalmente a carga térmica dissipada num edifício.

ventilação eólico

No entanto nunca será possível garantir para todos os períodos de ocupação:

  • A qualidade do ar interior (QAI);
  • As corretas condições de temperatura, humidade e velocidade do ar.

 

Ventilação Forçada ou Mecânica

A ventilação forçada consiste em utilizar dispositivos próprios (ventiladores, exaustores, extractores, etc.) que provocam o movimento do ar entre o interior e o exterior do recinto.

ventilação forçada ou mecânica

Com a saída do ar viciado e a entrada de ar novo pode-se assegurar a renovação correcta e controlada do ar ambiente, a salubridade dos locais e o conforto das pessoas. Os locais ventilados permitem criar em espaços fechados um ar respirável. Adaptando os caudais extraídos e induzidos nos locais que contêm contaminantes, obtêm-se um ambiente mais confortável e mais puro.

Tipos de ventiladores:
  • Ventiladores Radiais ou Centrífugos;
  • Ventiladores Axiais ou Helicoidais.

Ventiladores Centrifugos:

(expulsam o ar na direção radial ao seu eixo)

ventilador centrifugo_S&P

O ar entra pela “boca de entrada”, passa pelas pás da turbina que o empurram para a “voluta” (conduta interna) saindo pela “boca de saída”, com um dado caudal (m3/h) e uma dada pressão de saída.

Conforme a necessidade do local, podem-se utilizar ventiladores centrífugos de baixos, médios ou de elevados caudais e pressões.

Têm geralmente a sua maior aplicação em instalações industriais.

Ventiladores Helicoidais:

(Expulsam o ar segundo o eixo do ventilador)

ventilador HELICOIDAL_S&P

A característica fundamental deste ventilador é a forma das pás ventiladoras, as quais têm uma inclinação em relação ao eixo, de modo que, ao girarem, efectuam um movimento em forma de hélice, pelo que o ar é obrigado a passar através delas, adquirindo a velocidade que lhe é transmitida pelas pás.

São geralmente utilizados em locais em que a poluição é reduzida. É um sistema económico que apresenta um nível de ruído baixo.

Informação Complementar: Soler Palau – Ventiladores

Actualmente todos os grandes edifícios são projectados com uma instalação de ar condicionado e não é concebido um local comercial que não disponha de refrigeração.
Mas uma vez obtido um ar em condições de qualidade e conforto o passo seguinte é distribui-lo pelos locais de maneira uniforme e com uma velocidade que incomode o menos possível. Esta técnica é denominada Difusão de Ar em Locais.
Actualmente existem no mercado difusores de indução elevada com veias radiais rotativas, de geometria fixa ou variável, tubeiras de longo alcance e baixo ruído, elementos para difusão por deslocamento bem como uma grande selecção de grelhas e difusores.

Tipos de Difusores:

  • Difusores Teto (circulares ou quadrados);
  • Difusores Lineares;
  • Difusores de Alta Indução;
  • Difusores de Baixa Velocidade;
  • Entre outros,…

Tipos de Grelhas:

  • Grelhas insuflação / ar novo;
  • Grelhas extração /retorno;
  • Grelhas exteriores;
  • Grelhas Interiores;
  • Entre outras,…

Para calcular o caudal multiplicar a volumetria do local pelo nº de renovações por hora necessários.

Calculo do Caudal

Tabela Renovação de ar

As preocupações associadas aos efeitos da qualidade do ar na saúde pública têm geralmente em conta a poluição atmosférica, no exterior dos edifícios. Apesar disso, nas sociedades atuais as pessoas passam a maior parte do tempo em ambientes interiores: nas suas casas, nos locais de trabalho, em zonas comerciais e de lazer no interior de edifícios, etc.

Nesses espaços interiores, as fontes associadas aos materiais de construção, de revestimento e de mobiliário, a utilização de produtos de limpeza, a ocupação humana bem como a deficiente ventilação e renovação do ar, são alguns dos contributos para que, tanto o número de poluentes como a sua concentração sejam, em geral, muito mais elevados do que no ar exterior.

A prevenção dos problemas de qualidade do ar interior (QAI) deve ser conseguida através da utilização de regras de boas práticas relativas à ventilação e à higienização dos espaços, bem como a correta implementação dos planos de manutenção dos edifícios, como por exemplo: alterações nos hábitos dos ocupantes, substituição de alguns materiais utilizados na decoração ou de produtos utilizados na limpeza, ou um ajustamento das taxas de ventilação dos espaços interiores.